Publicidade

Com quase 60 anos de carreira, morre em Campo Grande 'Castelo', um dos precursores do Chamamé

Antônio Rodrigues de Queiroz enfrentava problema cardíacos e faleceu aos 72 anos, no Hospital Regional da capital.

10/07/2023 às 20h14
Por: Leila
Compartilhe:
Morre em Campo Grande 'Castelo', um dos precursores do Chamamé — Foto: Redes sociais
Morre em Campo Grande 'Castelo', um dos precursores do Chamamé — Foto: Redes sociais

Nascido em Três Lagoas, faleceu na noite desse domingo (9) Antônio Rodrigues de Queiroz, mais conhecido como Castelo. O chamamézeiro enfrentava problemas cardíacos e estava internado no Hospital Regional de Campo Grande, onde passaria por cirurgia.

Castelo colecionava, aos 72 anos, mais de quarenta álbuns gravados e quase 60 anos de carreira. Conhecido por ser um dos precursores do Chamamé, o artista iniciou a carreira musical em 1964.

Antônio começou em uma dupla com Durvalino de Souza. Logo em seguida, formou o Trio Serenata (Alex, Queiróz e Cidinho Castelo), quando surgiu a primeira gravação em disco vinil. Na década de 80, fundou o grupo “Os Filhos do Pantanal”.

Em seguida formou a dupla 'Castelo e Mansão', que ficou conhecida no Brasil com a composição “Garça Branca”. Na década de 90 fundou o "Grupo Pantanal" , composto por Castelo, Mansão, Joãozinho, Aldo e Germano. Já em 2000, criou o "Grupo Carandá".

Castelo se apresentou no Japão, Argentina, Paraguai, Bolívia e em diversos estados do Brasil, com o “Trio Castelo”.

 

 

Velório e sepultamento

 

O corpo do músico será velado na Câmara Municipal de Campo Grande, a partir de 12h30, desta segunda-feira (10). Já o sepultamento está marcado para essa terça-feira (11), às 8h30, no cemitério Jardim das Palmeiras.

A morte do artista foi confirmada pela família, mas as causas ainda não foram divulgadas.

 

Despedida

Nas redes sociais, amigos do artistas e fãs prestaram as últimas homenagens ao músico.

Ainda nas postagens, os admiradores comentaram o quanto Castelo marcou a história música sul-mato-grossense.

 

"Ser humano fantástico, humildade, competência. Serei um eterno fã desse talento sem igual", disse um fã. Em seguida, outro comentou "Uma grande perda para nosso chamamé sul-mato-grossense, agora esta ao lado do nosso querido eterno Dino Rocha. Descanse em paz lenda !!".

 

"Castelo, Guri Chamamezeiro. Com quase 60 de carreira! Que levou a Garça Branca do Pantanal para o Brasil e o mundo Conhecerem.
Que reverencia a beleza da Moça do Chamamé e conta Coisas do Poeira!
E canta e encanta gerações e gerações!
Amado da Laurinha, filhos e netos e amigo dos amigos e parceiro musical de todos. Atingiu um nível de excelência nas interpretações que desperta grande admiração geral. Saudamos seu talento e entusiasmo pela música!
Com mais de 45 discos gravados entre vinis, DVDs e CDs.
Sua esplêndida obra: para curtir ou para dançar se espalha para seus fãs alegrar!
Salve Mestre Guri Chamamezeiro!"
(Palavras da querida amiga Sandra, produtora do programa "Show da Terra" - Campo Grande MS)

 

"Hoje(09/07/23) é um dia de profunda tristeza. Antônio Rodrigues de Queiroz - Castelo, nosso artista da música sul-mato-grossense, faleceu aos 72 anos. Sua voz inconfundível e talento excepcional encantaram gerações. Com uma carreira brilhante, Castelo deixou sua marca na música do Mato Grosso do Sul e levou seu nome para o Brasil e o mundo. Sua partida deixa um vazio irreparável. Descanse em paz, querido amigo Castelo. Sua música viverá para sempre." (Marlon  Maciel)

 

Velório de Antônio Rodrigues de Queiroz — Foto: Divulgação

 

Fonte: Por Débora Ricalde, g1 MS